Aqui tudo o que você precisa é um wifi, cozinha e um belo apetite!

Já imaginou fazer aquele ceviche peruano ou uma tradicional massa italiana, podendo tirar dúvidas ao vivo e sem pagar o preço de uma aula particular?

Já imaginou fazer aquele ceviche peruano ou uma tradicional massa italiana, podendo tirar dúvidas ao vivo e sem pagar o preço de uma aula particular? A empreendedora Patricia Abbondanza antes de criar o Cook Mood já acumulava no currículo experiência na culinária e no site Dedo de Moça que, por meio dele, a chef colocava dicas, prestava consultorias empresariais e agendava aulas particulares em São Paulo. Mas, com o tempo, a procura das aulas por pessoas fora da cidade cresceu muito e ela não tinha como atender. Foi aí que, em parceria com o Dedo de Moça, nasceu o Cook Mood.

A seleção de cozinheiros é a partir de dois modelos de cozinheiro dentro da plataforma: o “homecook”, que seria o cozinheiro amador, e o “chef”.Em todos os casos são pedidas fotos da cozinha e da receita, além de um mínimo de conexão à internet, depois, os profissionais respondem um questionário final. Se ele for um cozinheiro profissional, também precisa mandar seu diploma ou uma justificativa de sua experiência na área.

Apesar das várias etapas do processo de seleção, a ideia é que a plataforma fique cada vez mais aberta a novos cozinheiros, pois a proposta do Cook Mood é de ser para qualquer um, não apenas chefs e ainda ganhando dinheiro com isso!

A empreendedora afirma que para isso o negócio investe em dicas para ensinar os professores a usarem os recursos tecnológicos de forma mais eficiente e, com o tempo, tudo isso é avaliado pelos próprios alunos, que atribuirão notas aos cozinheiros e às suas aulas.

Dois meses depois de sair do papel, o Cook Mood foi escolhido para ser acelerado pela “fábrica de startups” americana Food-X, especializada em negócios de alimentação.

Agora, o Cook Mood vive entre São Paulo e Nova York: de um lado, o escritório paulista fica ao lado da equipe do Dedo de Moça; de outro, os sócios Patricia, Felipe Novaes e Johnatthas Poltronieri se revezam em viagens aos Estados Unidos. Em fevereiro, o Cook Mood será apresentado no evento Startup Grind, organizado pelo Google.

Por enquanto, a plataforma está na versão de testes. É possível acessar e assistir às aulas gratuitamente, inclusive pelo aplicativo para o sistema iOS. São mil usuários que utilizam o Cook Mood e 30 cozinheiros cadastrados.

Com o feedback desses usuários e dos profissionais, além da integração com o serviço de pagamentos Paypal, a ideia é que o serviço lance sua versão oficial entre março e abril.

Com o tempo, o objetivo do Cook Mood é se tornar um grande acervo digital de aulas gastronômicas, um "Netflix Gastronômico", em que as aulas que já foram transmitidas poderão ser acessadas por meio de uma assinatura mensal.

Acesse aqui o Portal: https://cookmood.com